Ao contrário da Câmara de Guarabira, vereadores pelo país reduziram seus próprios salários

Desde hoje, 27 de junho, passou a circular em grupos de WhatsApp um áudio do vereador Saulo de Biu (MDB) tentando argumentar sobre o inexplicável aumento de salário aprovado pela Câmara Municipal de Guarabira na sessão do dia 09 de junho de 2020.

Ainda indignada, a população guarabirense não digeriu bem o fato de que a Câmara Municipal de Guarabira aprovou aumentar o salário de vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretarios. Com a nova legislatura os subsídios dos vereadores de Guarabira em 2022 passará de R$ 7.500 para R$ 10.000,00.

Oito dos quinze vereadores votaram a favor do aumento, são eles: Júnior Ferreira, Raimundo Macêdo, Michele Paulino, Zé Ismai, Wilson Filho, Saulo de Biu, Michel do Empenho e Lula das Molas.

Através de uma nota técnica a ouvidoria da Casa Osório de Aquino apontou para legalidade do aumento, porém não convenceu a população, que tem padecido com a ineficiência do poder público municipal no combate ao novo coronavírus. Por isso, o Outra Fonte fez um levantamento dos municípios onde a Câmara Municipal agiu contrário a de Guarabira, mostrando que reduzir os salários é possível.

Veja alguns exemplos:

A Câmara Municipal de vereadores da cidade de São Paulo votou por unanimidade a PR (projeto de resolução) 08/2020 que prevê redução de 30% do salario de vereadores
e 30% da verba destinada aos gabinetes. A PR é valida até que a pandemia do novo coronavírus passe. Todos os 53 vereadores votaram a favor da redução.

Em Monte Verde/MT, Câmara Municipal também votou pela redução salárial, neste caso a redução foi de 50% do salário dos vereadores. O valor poupado será utilizado no combate do novo coronavírus no município. Vale salientar que em Monte Verde os subsídios dos vereadores não passam dos 3 mil reais. Com os descontos, os vereadores recebem cerca de R$ 2.700,00 líquidos. Neste caso, durante o período de pandemia ia vereadores passaram a receber R$ 1.350,00.

Outro exemplo de redução salárial dos políticos na pandemia do COVID-19 é o da cidade de Taquara/RS. O município tem pouco mais de 54 mil habitantes e paga aos parlamentares R$ 8.900,00. No entanto, a Câmara Municipal aprovou por unanimidade a redução dos salários para os próximos mandatos. O valor atualizado passará a ser de R$ 5.803,90.

Outra cidade que também votou para reduzir o salário de vereadores foi Cachoeira Paulista. Antes mesmo da pandemia do COVID-19 se alastrar pelo país, Cachoeira Paulista/SP, que tem mais de 30 mil habitantes, reduziu o salário dos vereadores de R$ 4,4 mil para R$ 1,3 mil. A proposta foi votada e aprovada pela Câmara Municipal de Vereadores.

Já em Divinópolis, Centro Oeste de Minas Gerais, um projeto proposto pela mesa diretora da Câmara Municipal objetiva a redução dos salários, que hoje são de R$ 12 mil, para um salário mínimo.

Em Florianópolis, a Câmara Municipal votou pela redução de 30% do salário do presidente da casa e 20% dos outros 22 vereadores durante dois meses. Com isso, foram poupados 71 mil reais dos cofres públicos do município. O recurso foi destinado ao fundo emergencial de Florianópolis.

Compartilhe

Leave a Comment

error: Este conteúdo está protegido!