2#Cenários – Pelo menos 3 LGBTQI+ morreram em Guarabira nos últimos 4 anos

A cada 26 horas um LGBTQI+ foi morto no Brasil 2019, segundo aponta relatório divulgado pelo Grupo Gay da Bahia. No total, foram 329 pessoas mortas, entre lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Os dados mostram que, desse número, 297 constam como vítimas de homicídios e 32 cometeram suicídios. Este resultado, no entanto, é menor do que o registrado em 2018, quando ocorreram 445 mortes.

Na Paraíba, de acordo com o “Relatório de dados de violência contra pessoas LGBTQI+” obtido pelo Outra Fonte, a queda de mortes a nível nacional também é refletida no Estado que, em 2019, somou 11 casos. Um ano anterior, porém, esse número foi maior, sendo 13 pessoas mortas por crimes intencionais, ou seja, houve vontade de cometimento de ato contra a vida de pessoas da comunidade LGBTQI+.

Nos últimos 4 anos, 51 mortes foram contabilizadas em toda a Paraíba. Em 2016, ocorreram 11 mortes; 2017, 16 mortes; 2018, 13 vítimas e, em 2019, 11 casos. A maioria das mortes são de jovens e início da vida adulta, com idade de 18 a 33 anos.

Mais especificamente em Guarabira, em 2017 houve duas mortes relacionadas a sexualidade. Os dois casos foram amplamente divulgados na Paraíba. Ambos eram jovens. Um foi morto a facadas e outro vítima de arma de fogo. Um antes ano, embora não esteja constando no Relatório do Estado, outro homossexual foi morto, encontrado com sinais de asfixia.

O suposto assassino de uma das vítimas de 2017 iria ao júri popular em fevereiro deste ano, no entanto a sessão não foi realizada. O outro caso, também ocorrido em 2017, houve a identificação do suspeito, que também seria levado a júri, porém o suposto assassino faleceu em 2019 e o Ministério Público pediu a extinção do processo.

Leis sobre o tema em Guarabira

Não existe políticas públicas voltadas para a população LGBTQI+ em Guarabira. A única lei que trata sobre o tema é a que institui o dia municipal da parada LGBT, de autoria do vereador Saulo de Biu. A lei está em vigor desde 2015.

Em 2019 chegou a ser cogitado a criação de um Centro de Referência e apoio à população LGBT pelo ex-prefeito Zenóbio Toscano, porém a iniciativa não saiu do papel. A ideia constou no orçamento anual do município.

Sobre a série Cenários

A série Cenários tem o propósito de contribuir assuntos pertinentes e de interesse público, sobretudo neste período das eleições 2020. Periodicamente, temas serão discutidos tratados pelo Outra Fonte.

Compartilhe

Leave a Comment

error: Este conteúdo está protegido!