Dia do agricultor: por que comemorá-lo? Por Edna Serafim

Para quem ainda não sabe o dia do agricultor/a surge, a partir de uma ação do imperador D. Pedro II quando criou a Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Comercio e Obras Púbicas em 28 de julho de 1860. No entanto, em 1930, depois de diversas mudanças de nomenclatura foi que a pasta passou a ser intitulada como Ministério da Agricultura. Apenas em 1960 que o Presidente Juscelino Kubitschek em comemoração aos 100 anos de criação do Ministério da Agricultura determinou que no dia 28 de julho fosse comemorado o Dia do Agricultor.

Essa classe trabalhadora é essencial tão quanto ao ato de respirar, porque são eles que nos alimentam do amanhecer, ao anoitecer.  

É necessário comemorar este dia e valorizar estes trabalhadores/as por inúmeros motivos, tais como:

  1. Conforme o Correio Brasiliense em 04 de março de 2020, explica que a participação do setor agropecuário no PIB brasileiro historicamente é de 5%. Atualmente, está em 4,5%. Um grande fator de influência no PIB da agropecuária é a soja.  Ainda conforme a CNA Brasil, o agronegócio tem sido reconhecido como um vetor crucial do crescimento econômico brasileiro. Em 2019, a soma de bens e serviços gerados no agronegócio chegou a R$ 1,55 trilhão, ou 21,4% do PIB brasileiro.

  • A participação do agro no total das exportações passou de 18,7% em 2019 para 22,9% em 2020. Os produtos que tiveram aumento no período foram: soja (+ 29,9%, de US$ 8.968,3 milhões para US$ 11.653,7 milhões), algodão em bruto (+ 69,5%, de US$ 659,2 milhões para US$ 1.117,6 milhões), madeira em bruto (+ 28,9%, de US$ 26,1 milhões para US$ 33,6 milhões), mel natural (+ 17,2%, de US$ 18,4 milhões para US$ 21,6 milhões), especiarias (+ 3,2%, de US$ 85,7 milhões para US$ 88,5 milhões).

  • Em tempos de pandemia do Covid-19 é importante valorizar os/as agricultores/as, tendo em vista, que estes/estas profissionais respeitam os recursos naturais e ambientais, assim como preocupam-se com a qualidade dos alimentos e produtos que chega na mesa dos consumidores. Conforme o Estadão, com a escalada do coronavírus no mundo, medidas de isolamento social foram amplamente adotadas pelos governos para conter o vírus. A exceção são os setores considerados essenciais, como o da saúde, que fica na linha de frente; e a agricultura também entra nessa categoria, evitando uma crise de abastecimento para 7,7 bilhões de pessoas.

  • Os/as agricultores/as também são responsáveis pelo desenvolvimento agroecológico, conceito que defende uma prática agrícola sustentável não apenas do ponto de vista ambiental, mas também social e econômico. A agroecologia faz parte de um conjunto de relações no campo que vai desde a não utilização de agrotóxicos, desmatamento ou queimadas para abrir áreas de plantio à transformação da qualidade do solo para que o alimento produzido seja mais saldável possível.

O que seria de um país como o Brasil se não fosse a força destes/destas trabalhadores/as quem enchem diariamente de comida a nossa mesa?

Ante a esta classe tão importante devemos destacar o seu direito a terra para viver e trabalhar, buscamos lutar para que os/as agricultores/as tenham a mesma igualdade de direitos e oportunidades. Neste sentido, como referência ao Dia do Agricultor, indicamos a importância dos/das trabalhadores/as do Movimento Sem Terra, que para nós é símbolo de resistência e luta por direito a terra e exemplo de solidariedade neste contexto de pandemia do Covid-19, que tem alimentado muitas famílias em centros urbanos.

O MST declara que seus objetivos principais, sintetizados no lema “terra para quem nela trabalha”, são:

Lutar pela terra!

Lutar pela Reforma Agrária!

Lutar por mudanças sociais no país!

“MST NOSSA LUTA É PARA VALER!”

Edna Maria Serafim: Professora e Psicopedagoga. Representante da Força do Coletivo.

Fontes:https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2020/03/04/internas_economia,832138/pib-agricultura-cresce-menos-que-ano-anterior-mas-mantem-alta-aceit.shtml

Fonte:https://summitagro.estadao.com.br/agricultura-e-abastecimento-a-importancia-do-setor-frente-a-pandemia/

Fonte:https://claudia.abril.com.br/sua-vida/como-a-agricultura-familiar-pode-ser-exemplo-de-sustentabilidade/

Fonte:https://www.canalrural.com.br/noticias/agricultura/exportacoes-do-agro-crescem-175-no-primeiro-quadrimestre-de-2020/

Compartilhe

Leave a Comment

error: Este conteúdo está protegido!